quinta-feira, 23 de julho de 2015

Você que não conhece solidão
Minha dor é toda sua
Tome-a para você
Segure-a em suas mãos
Brinque com meu desespero
faça dele seu brinquedo
Eu que sou mar revolto e não sei o que é brisa
sempre me queimando pela chama do amor
Tome meu sono e bagunce o meu descanso
Quebre tudo dentro de mim
Porque eu não sei o que é paz
Você que não sabe o que é tristeza
Ria dos meus devaneios
Usurpe a minha mente
Tome tudo, tome tudo
Deixe-me aqui desnuda
quebrada e sem alma
Você que não sabe o que é lamento
Fique com tudo o que é seu
eu
meu
tudo seu
eu que não sabia ser cruel
nem percebi
que tudo o que te dei
dei porque quis
você não me pediu nada
você não quis nada...
tomo de volta
toda minha dor, meu lamento, meu amor
toda a minha alma
e hoje percebo que tudo o que te dei
era tudo o que eu tinha
você que não tem nada
não tomaste, não quiseres, não possuístes
você que não sabe o que é perdão
tomo de volta meu coração
eu
meu
tudo que era seu...
Débora Garcia